Automação residencial: como planejar a automação em casas com eficiência?

Automação residencial: como planejar a automação em casas com eficiência?

Automação residencial. Esse termo soa como sendo algo muito futurista, caro e ainda distante das residências, não é verdade?

Pois é... Mas a realidade é outra! Isso porque profissionais, como arquitetos, e moradores aficionados por tecnologia sabem que as casas inteligentes têm se desenvolvido a ponto de ter suas soluções rapidamente sendo incorporadas no dia a dia de muitas residências.

Prova disso é que já é possível controlar a temperatura do ar-condicionado, as luzes da sala, o movimento das cortinas e até ligar a cafeteira com apenas um toque na tela do celular.

Mas, para que a automação residencial seja adotada de forma eficiente e econômica, seguir um passo a passo é fundamental. Assim, o investimento nessas tecnologias poderá trazer os resultados esperados.

Saiba mais sobre a casa inteligente e veja quais são os itens essenciais para um bom planejamento da automação em casas.

O que é a automação residencial?

Diferentemente do que muitas pessoas imaginam, a automação residencial já é adotada em muitas casas, sendo utilizada basicamente para controle de aparelhos simples (como iluminação, climatização e persianas).

Porém, recentemente a ideia da casa inteligente passou a ser utilizada em muitas outras funcionalidades dentro das residências, como:

- automação do som e da iluminação;

- sistemas de irrigação do jardim;

- segurança;

- temperatura ambiente;

- controle de acesso de pessoas.

Dessa forma, um sistema de automação residencial tem por função a conexão de diversos aparelhos em uma central controladora.

Esses aparelhos são programados para receber comandos por meio de uma interface do usuário, como um aplicativo de celular, computador ou tablet, tendo como foco tornar a vida do morador mais fácil, prática e cômoda.

Mas os benefícios da automação residencial vão muito além, podendo inclusive contribuir com a sustentabilidade, pois a tecnologia permite reduzir inúmeros desperdícios, como os de água e luz. O morador consegue gerenciar o consumo de onde estiver e da maneira que julgar melhor.

Como adotar um sistema de automação residencial na prática?

Nas residências, tudo que tiver conectividade elétrica pode ser automatizado. Mas, para uma solução mais completa de uma casa com essa característica, o investimento em conhecimento, em um bom projeto e em uma solução ideal para cada tipo de necessidade é essencial.

Por isso, alguns pontos considerados fundamentais em um projeto de automação residencial precisam ser seguidos. Acompanhe adiante.

Pesquisa sobre as necessidades e as possibilidades para cada residência

Com a popularização das casas inteligentes, muitas são as possibilidades à disposição de moradores e arquitetos. Por isso, entender tais possibilidades é o ponto de partida para iniciar qualquer bom projeto de automação.

Planejamento e entendimento das necessidades do morador

Todo projeto de automação começa com um bom levantamento das principais necessidades, tanto as imediatas quanto as futuras. Para o curto e médio prazos, o arquiteto deve saber o que o morador quer automatizar e planejar a melhor solução para isso.

Mas, se o projeto estiver associado à construção, vale planejar muito bem as necessidades de infraestrutura para o futuro da automação, evitando reformas ou obras futuras.

Um bom planejamento nesse cenário ajuda a reduzir desperdícios de recursos e perda de tempo com retrabalho daquilo que foi esquecido durante a obra.

Defina o que será automatizado

O morador, junto ao arquiteto, deve escolher quais ambientes da casa serão automatizados ou, até mesmo, se será toda a residência. Depois disso, solicita-se um orçamento conforme os itens escolhidos a uma empresa de confiança.

Solicite um projeto com a infraestrutura necessária

Após definir todo o sistema que será utilizado na casa automatizada, prossiga com a solicitação de um projeto contendo toda a infraestrutura necessária para instalação de um sistema de automação.

Programe os equipamentos, gadgets e sistemas

Depois da instalação dos equipamentos, é hora de programar todos os controles (telas sensíveis ao toque, keypads, smartphones ou tablets) e os gadgets para que fiquem funcionais e eficientes. Esse serviço também é realizado pela mesma empresa responsável pela instalação.

Papel do arquiteto nos projetos de automação residencial

Com o avanço da tecnologia, um mundo de possibilidades se abre dia após dia para quem pretende realizar um projeto rico em automação residencial. Por essa razão, o papel dos profissionais de arquitetura ganha em importância, pois será ele o responsável por tornar o processo mais eficiente e menos sujeito a erros.

Dessa forma, o arquiteto precisa estar por dentro da tendência em automação residencial, exercendo o papel de ser a ponte entre o cliente (morador) e a empresa que fará um serviço desse tipo.

Com a expertise na área, o arquiteto poderá adotar toda a tecnologia desejada pelo cliente sem que o projeto perca a identidade inicial.

Portanto, o arquiteto precisa, ao menos, conhecer as possibilidades em automação residencial, permitindo que ele atenda clientes cheios de ideias, seja para um simples acionamento automático do ar-condicionado, seja para um superprojeto de automação de toda a casa.

Não sabe como começar um projeto de automação? Então acesse nosso site e saiba muito mais sobre as casas inteligentes.



Copyright © 2013-presente Magento, Inc. Todos os direitos reservados.